Atenção, abrir em uma nova janela. PDFImprimirE-mail

História da Maré II - de 1940 aos dias de hoje

1947 - Transferência do do 1° RCC
A Vinda do 1° RCC

Nos terrenos do antigo prado do Derby Club, próximo ao Engenho Velho, estava instalado o 1º Regimento de Carros de Combate (1º RCC) do Rio de Janeiro. Tendo em vista a realização da Copa do Mundo de 1950, o Prefeito Ângelo Mendes de Morais optou pelo ambicioso projeto de construção do Estádio do Maracanã. Dessa forma, se tornou obrigatória a transferência daquela unidade militar para outra área da cidade, tendo sido escolhidos pelo Exército, os terrenos antes ocupados por chácaras, em Bonsucesso, junto à Avenida Brasil, o que foi efetivado em 1947.

O Controle dos Terrenos do Timbáu

Dessa forma o 1º RCC instalou-se defronte ao Morro do Timbáu, e sob a justificativa de impedir a ocupação de terrenos que lhe pertenciam (o que mais tarde se vai verificar não ser verdade) passou a exercer um controle sistemático sobre a comunidade com a derrubada de barracos, o controle da entrada de moradores através da colocação de cercas de arame farpado, e a cobrança, por parte de alguns militares de "taxas de ocupação".

A Reação de Dona Orosina

A história da comunidade do Timbáu vai ser na década de 50 marcada pela resistência ao exército que reclamava a propriedade da área e que vai tentar impedir por todos os meios, inclusive a violência, a sua ocupação. Por intervenção de D. Orosina que escreve uma carta denunciando tal situação ao Presidente Getúlio Vargas, que a recebe no Palácio e lhe responde dando garantias contra os agentes militares, a comunidade passou a crescer e se organizar tendo em 1954 fundado a terceira associação de favelas do Rio de Janeiro.

Vista do Morro do Timbáu. Arquivo Nacional. 1973.

Topo