Atenção, abrir em uma nova janela. PDFImprimirE-mail

História da Maré II - de 1940 aos dias de hoje

1992 - A inauguração da Linha Vermelha
Um Antigo Projeto

Em 21 de abril de 1992 é inaugurada como primeira etapa da chamada "Linha Vermelha". Na verdade o que se concretizava era o antigo projeto de via alternativa à Avenida Brasil, que já fora formulado por Carlos Lacerda , através do Plano Doxiades (60/65); pelo Governo Chagas Freitas (Plano Acesso Norte); pelo Projeto Rio em 1979 e finalmente pelo Governo Leonel Brizola, ofertada pelo Presidente Collor.

Construída sob a alegação de promover o desafogo no trânsito da saturada Avenida Brasil, a Linha Vermelha acabou por ser uma via de elite, que favorece o trânsito de carros particulares, tendo promovido forte impacto, uma espécie de "tiro de misericórdia" no que sobrou da Baía de Guanabara, na área do Caju e da Maré, hoje, face os últimos aterros promovidos para a construção desta via, reduzida a um canal de menos de 100 metros de largura, totalmente poluído.

As Intervenções

Houve a remoção de grande faixa de manguezal, bem como foram realocados os trapiches utilizados pelos pescadores, ficando o Complexo da Maré limitado entre a Avenida Brasil e a Linha Vermelha. Foi construído um Parque com traçado de Burle Marx, porém bem mais modesto do que o prometido.

A inauguração da primeira etapa, com extensão de 7,2 Km e custo de US$ 140 milhões, foi realizada junto ao Complexo da Maré e contou com a participação da dupla de cantores de música sertaneja Leandro e Leonardo, tendo a Linha Vermelha dado maior visibilidade para a Cidade das comunidades do Caju e da Maré, antes escondidas pelo cinturão industrial e de estabelecimentos públicos da Avenida Brasil.

Para a abertura da Linha Vermelha foram feitas algumas remoções entre o Parque Alegria e Boa Esperança, tendo ainda sido construído um conjunto de casas onde outrora ficava o Aterro Sanitário do Caju, que acabou por ser praticamente desativado, restando apenas a Usina de Lixo, que por falhas em sua construção, hoje não funciona regularmente.

Topo